quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A CASA de ANTELAS

Esta casa remonta ao séc. XVII e pertenceu à D. Maria das Dores, embora esta casa fosse mais conhecida por a casa do Dr. Joaquim de Almeida, pessoa muito ilustre nesse tempo, que era irmão da D. Maria das Dores.
A casa passaria depois para a D. Maria José que deixaria herdeiro o Dr. José Dinis Vieira, que era um médico muito conceituado. Esta família estava intimamente ligada com a casa de Pereiras, já que o Dr. Joaquim de Almeida era irmão do Dr. António, dono dessa casa.
A casa em si não tem um grande valor, até que está em ruínas. Entrava-se por uma porteira que iria dar para um terreiro rectangular interior. Do lado direito ficava a cozinha grande, imponente, cuja chaminé é grandiosa, assim como o forno em que toda a freguesia cozia o pão (a grande característica desta povoação é a sua grande interajuda e espírito comunitário, quando aqui fomos, estava uma malhadeira a malhar o centeio de toda a freguesia, claro que todos ajudavam, às vezes, contaram-nos, ainda hoje, se juntam cerca de 17 a 18 pessoas para, por exemplo, ir sachar uma terra de milho), hoje por lamentável que seja a cozinha serve de galinheiro.
Pouco adiante há uma sala enorme onde a freguesia se juntava para fazer os seus bailes. Depois eram os quartos pequenos e atarracados como é característico. Do lado esquerdo, onde hoje estão alojados os os armamentos para os animais e é guardado o pasto, seria em tempos uma capela e realmente pela configuração do aposento podemos confirmá-lo.
Conta-se também que na casa em frente a esta, por uma janela, o Dr. Pinto de Viseu assistia à missa, isto antes dele se ter zangado e mandado fazer uma capela dentro da sua propriedade, cuja a padroeira é a Senhora da Boa Morte que hoje se encontra bastante danificada, entrando nomeadamente chuva lá dentro. Da antiga capela nada resta, já que se conta que o oratório foi vendido para Beja.
A casa além de ameaçar ruínas tem também uma característica: a parte de baixo foi vendido e o proprietário é o Sr. Aires Moita; a parte de cima foi vendida e é do Sr. António Lopes.
É uma pena que uma casa como esta esteja em tão avançado estado de degradação, o mesmo é tão grande que em algumas divisões nem se pode entrar visto o chão estár a cair.
Estes elementos foram gentilmente cedidos pelo Sr. Filipe Soares actual responsável pelo Museu Municipal de Oliveira de Frades(10/2008).

1 comentário:

Anónimo disse...

Albano !
Admiro o teu gosto pelas belas coisas e a importancia que elas têm para ti.
Eu não conheço " o teu lugar " mas aplauso-te por quereres mantê-lo
"vivo " e " de pé ".
PARABENS !!!!

O TEMPO JÁ NÃO É O QUE ERA

Em alguns locais da vila de Oliveira de Frades o gelo atingiu "quase um metro". A "saraivada" ocorreu cerca das 16...